JORNALISMO NEWS  Publicidade 1200x90
28/06/2024 às 12h08min - Atualizada em 28/06/2024 às 12h08min

Gestão de JHC 'torra' R$ 27 mi com artistas de fora, mas cancela festa junina no Graciliano por "falta de dinheiro

Com atrações locais, que custariam de R$ 20 mil a R$ 30 mil, a prefeitura de Maceió decidiu cancelar

Jornal O Fato
Festa custaria R$ 40 mil, menos que o cachê de Millane Hora, mulher do senador que indicou presidente da FMAC, ou o equivalente a 4 minutos de show de Gusttavo Lima.

Com atrações locais, que custariam de R$ 20 mil a R$ 30 mil, a prefeitura de Maceió decidiu cancelar o São João do Graciliano Ramos, complexo habitacional da parte alta da cidade que conta com uma população estimada em 100 mil pessoas, segundo dados da associação de moradores. A suspensão reforça a preferência da gestão do prefeito João Henrique Caldas, o JHC (PL), por atrações nacionais.

A programação foi iniciada nos dias 23 e 24 de junho e teria sequência nesta sexta, 28, e sábado, 29. No entanto, nessa quinta, 27, a prefeitura de Maceió mandou recolher cerca de 12 banheiros químicos que estavam instalados no local e comunicou à Associação dos Moradores do Graciliano Ramos (AMGR) que não teria dinheiro para dar prosseguimento ao evento, que tinha parte da estrutura e das atrações custeadas pela Fundação Municipal de Ação Cultural.

A presidente da AMGR, Valéria Cavalcante, gravou um vídeo anunciando o cancelamento do evento. "Passando por aqui para informar que as festividades de São Pedro que iam acontecer aqui no Graciliano Ramos foram canceladas. Recebi uma ligação do presidente da Fundação Cultural de Maceió, senhor Myriel, informando que por falta de verbas teríamos que cancelar o evento. E aí isso nos deixou muito tristes, porque se criou uma grande expectativa, houve toda uma divulgação, os ambulantes se organizaram e todos nós fomos pegos de surpresa, mas a vida segue. Desejo a todos um feliz São Pedro", disse.

Valéria recebeu a ligação de Myriel Cavalcanti Mello Neto. Ele é presidente da FMAC, a mesma fundação que já gastou mais de R$ 17 milhões somente com o pagamento de cachês para atrações nacionais, os ‘artistas de fora’ que estão se apresentando no São João Massayo 2024, em Jaraguá. Outros R$ 8,2 milhões foram gastos em cachês no Massayó Verão em janeiro deste ano, além de cerca de R$ 2,5 milhões em diferentes outros eventos. 

Os gastos da FMAC mais que dobraram na gestão de JHC em comparação com a gestão anterior. Em 2020, último da gestão do ex-prefeito Rui Palmeira, a FMAC teve despesas de R$ 12,5 milhões. Em 2021, em função da pandemia, a fundação registrou R$ 5,5 milhões de gastos, mas as despesas saltaram para R$ 39 milhões já em 2022, segundo ano da gestão JHC. Em 2023, a FMAC consumiu R$ 53,5 milhões e deve superar os valores este ano, uma vez que em apenas seis meses já foram registradas despesas superiores a todo o ano de 2020 e a mais de 70% do gastos de 2023.

As despesas com estrutura, camarotes, som e iluminação também representam gastos milionários. Até esta sexta-feira, 28 de junho, os gastos da FMAC somavam R$ 41 milhões, de acordo com informações do Portal da Transparência de Maceió. Deste valor, mais de R$ 27 milhões foram gastos em cachês com artistas de fora e outros R$ 7 milhões em estrutura.

Para efeito de comparação, o valor gasto apenas com uma grande atração do São João, Gusttavo Lima, seria suficiente para fazer o São João do Graciliano Ramos durante 30 anos. O cantor levou R$ 1,2 milhão de cachê, o equivalente a R$ 10 mil por minuto. Bastariam 4 minutos do artista para fazer a festa no Graciliano.

Para efeito de comparação, a FMAC paga cachê de R$ 50 mil a Millane Hora. A cantora é mulher do senador Rodrigo Cunha (Pode), que foi o responsável pela indicação de Myriel Cavalcanti, seu ex-assessor, para a presidência da fundação. Este ano, a mulher do senador já se apresentou em dois eventos da prefeitura de Maceió, levando R$ 100 mil em cachês. Ela também foi uma das atrações do São João da OAB-AL, evento que recebeu R$ 280 mil da mesma FMAC.

O vídeo de Valéria foi postado no perfil do Instagram Voz da Comunidade, que tem forte atuação no Graciliano Ramos: "Se gasta milhões de reais na parte baixa da cidade, mas não tem dinheiro para continuar uma programação em nossa comunidade, embora que essa programação foi a mais fraca já vista em nossa região. Parabéns @prefeiturademaceio por mais uma vez mostrar na cara do povo que existe preferência por comunidades. Parabéns presidente Valéria em se pronunciar e revelar a verdade à população", registra o Voz (https://www.instagram.com/vozdacomunidadereserva/).
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »